30 de nov de 2016

Mulher comete suicídio na cidade do Rio de Janeiro

Suspeitas indicam que a mulher cometera o suicídio por sofrer perseguição

No dia doze (12) de julho de 1892, foi encontrado o corpo de Bertoleza da Silva, 35, na cozinha de um armazém, localizado na cidade do Rio de Janeiro, esfaqueado na região do abdômen.
De acordo com testemunhas, Bertoleza teria praticado suicídio por acreditar que estivesse sendo perseguida. Segundo o testemunho, Bertoleza estava escamando peixes quando cometera o ato: “Percebi o movimento estranho dentro do armazém. Havia um homem alto, junto aos policiais, andando pelas redondezas e vi os mesmos entrarem no local. Não demorou muito para o dono do lugar sair correndo, pedindo ajuda. Quando fui até lá, a mulher já estava morta e com a barriga cortada” diz Jerônimo Oliveira, 38, testemunha do ocorrido.

O homem ainda afirma que Bertoleza sempre dizia sofrer perseguições de seu antigo patrão, e que nunca falava o motivo. Esse relato ainda está sendo apurado pela polícia que busca pelo suspeito.
Jornalista:
Larissa Hanako Suzuki 

Cortiço é Inaugurado no Bairro Botafogo

Nesta ultima sexta-feira, no bairro Botafogo, em frente à grande pedreira do município do Rio de Janeiro, fora inaugurada a estalagem de João Romão.
João Romão, de 31 anos dono de uma venda da região, foi responsável pela inauguração do cortiço, motivado pela vontade de ascender socialmente o construiu pouco a pouco com suas próprias mãos, através do dinheiro arrecadado em seu comercio, implantou essa pequena estalagem.
Em entrevista com o empreendedor e construtor João Romão, ele relatou: “O cortiço faz parte de mim, foram incontáveis às vezes em que dormi sobre o balcão de minha própria venda. E finalmente venho lhes apresentar a minha estalagem.”

A partir da próxima semana o cortiço estará aberto pra os novos inquilinos.

Jornalistas:
           Fransciny Costa Alves
Ramon Bocker 

Cortiço de Bairro Carente é Incendiado

      A estalagem, mais conhecida como Avenida João Romão, foi incendiada na última terça-feira (27). Investigações acerca do culpado ainda estão em andamento.
       Relatos indicam que o acontecimento partiu de um conflito inicial entre os moradores de dois cortiços próximos. Alguns residentes da Avenida João Romão tentaram conter as chamas enquanto outros se empenhavam em recolher seus bens ou procurar ajuda. A situação foi controlada com a chegada do Corpo de Bombeiros.

        Zulmira Souza, 17 anos, disse que o incêndio foi proposital: “Aquela velha louca quase matou todo mundo! Ela sabia o que estava fazendo”. O dono da estalagem, João Romão Vieira, 36 anos, prometeu que providências serão tomadas: “Logo, os moradores poderão retornar às suas casas”. Investigações apontam para Paula Faria como causadora do incêndio, porém os fatos ainda serão apurados.

Jornalistas:
Anna Júlia Sturaro
Carolina Smania Semensato

BOMBEIROS CONTROLAM INCÊNDIO DO MAIOR CORTIÇO CARIOCA

Na noite de 25 de abril de 1882, foi registrado um incêndio no cortiço da avenida São Romão, o sinistro foi bravamente controlado pelos bombeiros.
O fogo se alastrou rapidamente, com origem desconhecida, os moradores tentaram a todo custo deter as labaredas, as quais eram motivo de desespero. Inicialmente, negaram ajudados bombeiros, apesar da gravidade da situação. Poucos foram os feridos, porém uma mulher, Paula Rodrigues, 60, e um homem, Libório Pereira, 82, foram encontrados mortos dentro do cortiço, ambos queimados. A polícia ainda investiga a causa, mas tudo indica um incêndio criminoso.
O Barão Miranda, que reside ao lado do cortiço, foi a principal testemunha: “Minha filha Zulmira, ao perceber, o que ocorria se desesperou. Da janela viam-se as labaredas tomarem conta do local; corajosamente os bombeiros detiveram o fodo e se tornaram os heróis da vizinhança”, relatou.

Após o fim do ocorrido, os moradores se mobilizaram para tentar salvar alguns pertences deixados no local.

Jornalistas: Gabriela Contesa e
                               Viviane Araújo

16 de nov de 2016

Resíduos Sólidos

Proposta 02 - Resíduos Sólidos

O descarte de resíduos sólidos no Brasil ainda é um problema que tem afetado diversas regiões. Existem diversos fatores que contribuem para essa situação no país, podemos citar como exemplos a ineficiência da coleta destes resíduos, a expansão quase incontrolável das cidades, ocupação de regiões indevidas (zonas de risco) entre outros.
Com base nestas perspectivas e nos textos de apoio e vídeos informativos selecionados, elabore um texto argumentativo sobre este tema.


- DA LEGISLAÇÃO:


Lei 12.305, de 03 de agosto de 2010.
Define:
Gerenciamento de resíduos sólidos: conjunto de ações exercidas, direta ou indiretamente, nas etapas de coleta, transporte, transbordo, tratamento e destinação final ambientalmente adequada dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, de acordo com plano municipal de gestão integrada de resíduos sólidos ou com plano de gerenciamento de resíduos sólidos, exigidos na forma desta Lei;
Logística reversa: instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinação final ambientalmente adequada;
Rejeitos: resíduos sólidos que, depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, não apresentem outra possibilidade que não a disposição final ambientalmente adequada;  
Resíduos sólidos: material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível;  
Responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos: conjunto de atribuições individualizadas e encadeadas dos fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, dos consumidores e dos titulares dos serviços públicos de limpeza urbana e de manejo dos resíduos sólidos, para minimizar o volume de resíduos sólidos e rejeitos gerados, bem como para reduzir os impactos causados à saúde humana e à qualidade ambiental decorrentes do ciclo de vida dos produtos, nos termos desta Lei;
Destinação final ambientalmente adequada: destinação de resíduos que inclui a reutilização, a reciclagem, a compostagem, a recuperação e o aproveitamento energético ou outras destinações admitidas pelos órgãos competentes do Sisnama, do SNVS e do Suasa, entre elas a disposição final, observando normas operacionais específicas de modo a evitar danos ou riscos à saúde pública e à segurança e a minimizar os impactos ambientais adversos;
Mais informações em: Lei 12.305
-VÍDEOS INFORMATIVOS:

Lixo?


Eu sei, mas não devia - Marina Colasanti



"O Bicho" - Manuel Bandeira


Barcelona usa sistema subterrâneo para descartar lixo