23 de mai de 2017

Qual é o sentido da vida?

Leonardo Piovezan (1º Informática – Turma B)


              Qual é o sentido da vida? Será que a vida tem de ter um sentido? É muito complexo pois será mesmo apenas “um” sentido da vida? Provavelmente são perguntas que todos se fazem durante algum período de suas vidas.
              É muito relativo, não podemos achar um sentido geral para isso, às vezes a falta dele(s) acaba nos desmotivando a viver, ter um sentido é como ter uma chama que nos movimenta e nos motiva a viver, é uma chama que nos move da mesma forma que um carro precisa de gasolina.
             Nunca ao certo acharei meu sentido, pois sou muito espontâneo; a cada primavera surge uma chance nova em mim; é uma luta atrás de um sentido contínuo, pois talvez sem ele a vida não tenha o mesmo néctar, nem as flores os mesmos cheiros...
            Talvez não tenha um sentido ao certo, pois não pedimos a vida, você simplesmente nasce, talvez seja tudo questão de se adaptar. Ao mesmo tempo que a vida é curta, ela é longa, é fato que nós morreremos um dia! Eu quero viver essa vida da melhor maneira possível, da minha maneira, com minhas regras! 

1ª RODA LITERÁRIA DO IFSP


Na quinta-feira, dia 4 de maio, foi realizada nossa primeira roda literária com o tema: Qual o sentido da vida?
Alunos-Autores discutiram sobre o tema, com exposição de ideais de filósofos, profetas, cientistas e escritores. 
A resposta é óbvia, não existe um sentido único para a vida. Cada um produz seu sentido com base em seus sonhos, ambições e laços interpessoais. Não há um sentido universal, as vezes nem é necessário um sentido. Estamos aqui por estar e criamos nosso sentido por necessidades humanas, motivos que nos façam continuar e não desistir repentinamente. 
O intuito do projeto é promover a escrita e discutir assuntos de urgência, pouco comentados, inspiradores e necessários para a formação humana e educacional de nossos alunos. 

19 de abr de 2017

Inscrições para Alunos-Autores 2017

Estão abertas as inscrições para participar da turma de alunos-autores do IFSP Capivari. Este ano contaremos com discussões sobre temas selecionados pela organização e pelos alunos participantes.
Além disso , todos estão convidados para nos mostrarem suas ideias, palavras, sentimentos e tudo o que quiserem exprimirem com palavras. Faremos com que o Alunos-Autores este ano seja um sucesso literário, com produções que vão além de textos argumentativos e dissertativos, para dar espaço a todos os gêneros literários. Contamos com a sua participação.

INSCREVA-SE AQUI: https://goo.gl/forms/qJKGWywby93oSVn93

Deixe sua(s) ideias e o dia que melhor podemos realizar nossas atividades!

30 de nov de 2016

Mulher comete suicídio na cidade do Rio de Janeiro

Suspeitas indicam que a mulher cometera o suicídio por sofrer perseguição

No dia doze (12) de julho de 1892, foi encontrado o corpo de Bertoleza da Silva, 35, na cozinha de um armazém, localizado na cidade do Rio de Janeiro, esfaqueado na região do abdômen.
De acordo com testemunhas, Bertoleza teria praticado suicídio por acreditar que estivesse sendo perseguida. Segundo o testemunho, Bertoleza estava escamando peixes quando cometera o ato: “Percebi o movimento estranho dentro do armazém. Havia um homem alto, junto aos policiais, andando pelas redondezas e vi os mesmos entrarem no local. Não demorou muito para o dono do lugar sair correndo, pedindo ajuda. Quando fui até lá, a mulher já estava morta e com a barriga cortada” diz Jerônimo Oliveira, 38, testemunha do ocorrido.

O homem ainda afirma que Bertoleza sempre dizia sofrer perseguições de seu antigo patrão, e que nunca falava o motivo. Esse relato ainda está sendo apurado pela polícia que busca pelo suspeito.
Jornalista:
Larissa Hanako Suzuki 

Cortiço é Inaugurado no Bairro Botafogo

Nesta ultima sexta-feira, no bairro Botafogo, em frente à grande pedreira do município do Rio de Janeiro, fora inaugurada a estalagem de João Romão.
João Romão, de 31 anos dono de uma venda da região, foi responsável pela inauguração do cortiço, motivado pela vontade de ascender socialmente o construiu pouco a pouco com suas próprias mãos, através do dinheiro arrecadado em seu comercio, implantou essa pequena estalagem.
Em entrevista com o empreendedor e construtor João Romão, ele relatou: “O cortiço faz parte de mim, foram incontáveis às vezes em que dormi sobre o balcão de minha própria venda. E finalmente venho lhes apresentar a minha estalagem.”

A partir da próxima semana o cortiço estará aberto pra os novos inquilinos.

Jornalistas:
           Fransciny Costa Alves
Ramon Bocker